Cuidados Veterinários
Por que cães comem cocô?
05/04/2016 15:34:24
Sintoma: Arritmia
27/02/2016 17:06:38
Tártaro nos cães
04/02/2016 17:40:02
Obesidade canina
05/10/2015 17:23:53
Leucemia viral felina (FeLV)
18/05/2015 17:55:22
Piometra em Cadelas
09/05/2015 16:32:26
Comedouros e Bebedouros
05/05/2015 17:07:29
Gengivite e periodontite
04/05/2015 19:34:52
Sarnas nos gatos
03/05/2015 17:31:14
Giárdia em Cães
01/05/2015 17:42:38
Como identificar dor em cães?
22/04/2015 16:21:19
Afinando relações
27/12/2014 14:42:04
  
Otite está entre as principais causas de surdez em pets
 
Quando não nascem sem audição, animais podem adquirir o mal. Além de doenças por trás, problema é comum na velhice 
 
 

A surdez em cães e gatos não é tão incomum quando se pensa. Ela pode ser congênita ou adquirida. Pouco tutores sabem, mas uma otite (inflamação do ouvido) não tratada já pode ser a causa do problema. O ideal, de acordo com a diretora Técnica Valéria Corrêa, da Pet Center Marginal (São Paulo/SP), é se prevenir. "Por isso as consultas frequentes ao médico do animal e atenção aos sintomas, como coceira,
produção de cera em quantidades excessivas no canal auditivo e quando o animal chacolha demais a cabeça, podem indicar algo errado. Na dúvida, recomendo procurar o veterinário responsável”, alerta. 

 
Outra causa bem comum é a surdez relacionada à idade avançada, principalmente após os sete anos. Assim como acontece com os humanos, cães e gatos também podem perder essa capacidade com o tempo, por problemas localizados no aparelho auditivo ou  em um quadro chamado Síndrome de Disfunção Cognitiva – espécie de Alzheimer. "Neste caso, vale a paciência da família porque o cão deixa de atender aos chamados justamente por não escutar, mas é possível treiná-lo com gestos e falar olhando para o animal para que ele possa entender o que o tutor deseja”, esclarece a especialista da Pet Center Marginal.
 
Cães com problema de surdez costumam apresentar um comportamento específico, que inclui latidos em excesso ou sem propósito, ficam indiferentes aos chamados da família ou sons do ambiente, passam a dormir mais, ficam incomodados quando são tocados na região das orelhas, odor fétido do conduto auditivo também pode ocorrer. Além do exame clínico realizado com o auxílio do otoscópio, o veterinário pode requisitar exames complementares, entre eles, de sangue para investigar alguma infecção, raio-X e/ou tomografia para identificar a presença de tumores – outra causa que pode causar a surdez nos animais de estimação.
 
Cuidados na hora do banho para evitar que caia água no conduto auditivo ou até mesmo na limpeza também são importantes para evitar que o cão perca a audição. "Ao manipular a região, na hora da limpeza, é necessário delicadeza para evitar que os tímpanos no animal sejam perfurados. Se for usar algum produto, o ideal é que seja recomendado pelo veterinário”, acrescenta Valéria. Se a surdez for congênita, o animal poderá ter uma vida normal, mas um aprendizado diferenciado. A causa por trás são os acasalamentos de cães com predisposição à doença como gatos brancos com olhos de cores diferentes, Akita, Beagle, Boxer, Cocker Spaniel, Dálmata, Daschund Malhado, Pastor Alemão, Schnauzer, São Bernando, entre outros.
 
Fale conosco: contato@direitosdosanimais.org
  APOIADORES