Cuidados Veterinários
Por que cães comem cocô?
05/04/2016 15:34:24
Sintoma: Arritmia
27/02/2016 17:06:38
Tártaro nos cães
04/02/2016 17:40:02
Obesidade canina
05/10/2015 17:23:53
Leucemia viral felina (FeLV)
18/05/2015 17:55:22
Piometra em Cadelas
09/05/2015 16:32:26
Comedouros e Bebedouros
05/05/2015 17:07:29
Gengivite e periodontite
04/05/2015 19:34:52
Sarnas nos gatos
03/05/2015 17:31:14
Giárdia em Cães
01/05/2015 17:42:38
Como identificar dor em cães?
22/04/2015 16:21:19
Afinando relações
27/12/2014 14:42:04
  
Manias estranhas podem, na verdade, ser uma doença psíquica; saiba quais raças são mais propensas ao problema  
 
Mania de lavar as mãos várias vezes, confirmar se a porta está realmente fechada, necessidade de colocar objetos em lugares específicos. O que parece uma mania pode, na verdade, ser indício de que uma pessoa sofre de TOC (Transtorno Obsessivo-Compulsivo), comum em diversos indivíduos. Porém, os cães também podem sofrer do mesmo mal, segundo pesquisas. 
 
 
Correr atrás do próprio rabo pode ser um dos sintomas do TOC canino

O estranho comportamento que alguns cachorros têm de correr atrás do próprio rabo ou sombra, assim como chupar o cobertor como se fosse a própria chupeta são indícios de TOC canino.Um estudo promovido por cientistas do Instituto Broad da Universidade Harvard afirma que quatro genes estão ligados a este tipo de comportamento.
 
E, segundo a bióloga Elinor Karlsson, estas descobertas podem representar uma melhoria muito grande na qualidade de vida dos cães, já que o TOC tende a ser uma doença psíquica hereditária.
 
Alguns antidepressivos caninos podem ajudar a diminuir sintomas da doença, mas a pesquisadora alerta para os riscos de efeitos colaterais indesejados. Segundo dados fornecidos por pesquisadores de Harvard, algumas raças estão mais propícias a desenvolver esta disfunção, como cães da raça dobermann.
 
Apesar das descobertas, Janice Kloer- Matznick, pesquisadora comportamental que estuda a origem dos cães, em Central Point, Oregon, não esconde que as novidades estão ainda no começo e que há muito por fazer: "Há outras coisas que precisamos descobrir, como comportamentos anormais associados à interação dos alelos. Não existem evidências incontestáveis”, afirma.
 
Pelo visto, eis mais uma confirmação da proximidade comportamental de cachorros com os seres humanos.
 
Fonte: PetMag


Fale conosco: contato@direitosdosanimais.org
  APOIADORES